20 de Setembro de 2020 -
 
23/12/2019 - 09h10
Assaltante morto em confronto já foi preso por roubar R$ 6 milhões em SP
Dois homens mortos em confronto policial foram identificados
Silvia Frias e Viviane Oliveira
Campograndenews/Agoranews
Parte da quadrilha foi apresentada pela Polícia Civil; dois foram mortos - (Foto/Divulgação)

A Polícia Civil identificou os dois homens suspeitos de integrar quadrilha especializada em roubo a banco e foram mortos em confronto policial, na madrugada de ontem (22). Um deles já havia sido preso em 1998, acusado de roubar R$ 6 milhões em joias da CEF (Caixa Econômica Federal) em São Paulo.

Na ação policial, sete pessoas foram presas. A quadrilha abriu túnel de 63 metros, que já estava próximo do subsolo abaixo do cofre da unidade central do Banco do Brasil, no bairro Coronel Antonino.

Os homens foram identificados como sendo José William Nunes Pereira da Silva, 48 anos, natural de Caxias (MA), e Renato Nascimento de Santana, 42 anos, nascido em Itabaiana (SE).

José William foi preso em novembro de 1998, acusado de participar de roubo a uma agência da Caixa na Rua Augusta, em São Paulo, no dia 17 de outubro daquele ano. Foram roubados R$ 6 milhões em joias de cinco mil clientes. José foi preso na zona norte da capital paulista. Na casa dele, os policiais encontraram três walkies-talkies, revólver calibre 32 e montante de joia. 

A polícia ainda não divulgou detalhes da operação desencadeada na madrugada de domingo. Os criminosos estavam sendo monitorados há cerca de seis meses. Dois veículos foram apreendidos na operação: uma caminhonete Hilux, com placa do Pernambuco, um utilitário de Ponta Porã e um caminhão. Dos sete presos, um foi levado à Santa Casa, ferido no confronto.

Em uma casa na Rua Minas Gerais, no Coronel Antonino, os investigadores encontraram toneladas de terra ensacadas, imóvel que servia de base da quadrilha para chegar até o banco, localizado na Avenida Presidente Castelo Branco. 

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.