14 de Dezembro de 2019 -
 
05/08/2019 - 18h20
Brasil brilha na prova mista e fecha o Pan com medalha de ouro na ginástica rítmica
Depois de falhas no fim de semana e dois bronzes, quinteto brasileiro se redime e fatura o título na última prova da modalidade nos Jogos de Lima
Por GloboEsporte.com — Lima, Peru
Globoesporte.com/Vídeo: Youtube
Conjunto do Brasil na final da prova mista do Pan - Foto:
Ricardo Bufolin / Panamerica Press / CBG

Foi preciso esperar até a última prova, mas o ouro do conjunto do Brasil chegou na ginástica rítmica dos Jogos Pan-Americanos. Nesta segunda-feira, última dia da modalidade em Lima, o jovem quinteto verde-amarelo se redimiu das falhas do fim de semana com uma série praticamente cravada na final da prova mista (três arcos e dois pares de maças). Beatriz Silva, Camila Rossi, Deborah Medrado, Nicole Pircio e Vitória Guerra fecharam a competição com um ouro para o conjunto do Brasil.

Em Lima, o Brasil viu cair a hegemonia de cinco títulos no geral do conjunto, a prova olímpica de quintetos, vencida pelo México. O renovado grupo verde-amarelo, porém, manteve a tradição de conquistar ao menos um ouro no Pan com a nota 24,250 pontos da prova mista. Ao México desta vez coube a prata, com 23,050. Cuba completou o pódio, conquistando sua única medalha na ginástica rítmica de Lima, com 22,200 pontos.

- Todo esforço e todo trabalho está sendo recompensado. Já estava sendo com as outras medalhas de bronze. Fizemos essa série para nós mesmas. Conseguimos mostrar tudo que estamos treinando. Estamos muito felizes - disse Deborah.

Depois de falhar no fim de semana e acabar com o bronze na disputa do geral e de cinco bolas, o Brasil entrou no tablado engasgado, querendo mostrar que ainda é um dos melhores conjuntos das Américas. Desta vez as meninas foram quase perfeitas embaladas pela música Akasha, do DJ Vegas, famoso na cena da música eletrônica brasileira. Todos os lançamentos foram precisos. Nenhum aparelho se perdeu pelo caminho. E a comemoração ao fim da série era de quem já sabia que o título era possível.

A nota 24,150 já colocava o Brasil com grandes chances de ouro. O conjunto verde-amarelo ainda entrou com protesto e teve sua nota de dificuldade aumentada em um décimo, ficando com 24,250 depois do recurso.

- Saímos felizes antes mesmo de saber a nota, porque sabíamos que demos nosso melhor. Conseguimos mostrar o que treinamos muito. Deu tudo certo - disse Nicole.

Conjunto da ginástica rítmica do Brasil leva ouro no Pan — Foto: Ricardo Bufolin /
Panamerica Press / CBG

Os Estados Unidos, que levaram a prata nas outras duas provas de conjunto, já havia se apresentado e ficado para trás, com apenas 17,950 pontos depois de muitos erros graves. O México, favorito depois de fazer 24,850 pontos na classificatória, também falhou e ficou com a prata, com 23,050. Cuba ainda arrancou um bronze com 22,200 pontos. O título, porém, ficou mesmo com o Brasil.

O ouro na última prova em Lima renova o ânimo das brasileiras em busca da classificação olímpica. O Mundial de Baku, em setembro, é o primeiro passo. Mas é no Campeonato Pan-Americano de 2020 que o Brasil espera levar o título e ficar com a vaga continental nos Jogos de Tóquio 2020.

ASSISTA A CONQUISTA DO OURO:

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.