20 de Novembro de 2018 -
 
07/07/2018 - 10h11
Tite nega problema físico na Seleção Brasileira: 'A equipe voou'
Redação
Gazetaesportiva
Técnico do Brasil acredita que Neymar, por exemplo,
estava na sua plenitude (foto: André Mourão/
Mowa Press)

A Seleção Brasileira conviveu com problemas físicos em sua participação na Copa do Mundo da Rússia. Antes mesmo de estrear, perdeu o lateral direito Daniel Alves, contundido, e precisou recuperar o substituto Fagner, o meia Renato Augusto e o atacante Neymar. Durante o torneio, lamentou as lesões do lateral direito Danilo, do esquerdo Marcelo, do volante Fred e do atacante Douglas Costa.

Tite, no entanto, negou que a sua equipe tenha sido prejudicada pelos problemas físicos após a derrota por 2 a 1 para a Bélgica, em Kazan, pelas quartas de final. “Em termos físicos, a equipe voou. O aspecto físico não foi determinante. A equipe voou, com transições em baixa, média e alta velocidades. Voou”, defendeu o treinador.

Esse tom foi usado também quando o assunto era Neymar, que passou os últimos meses em reabilitação de uma cirurgia para corrigir uma fratura no quinto metatarso do pé direito. “Ele estava em franca evolução e chegou ao ápice. Antes do último jogo, falei para ele que tinha voltado à plenitude. Voltou acima do que eu imaginava, com grande desempenho técnico”, exagerou Tite.

Torcedora desolada depois derrota do Brasil - Foto: Manan Vatsyayana /AFP

A análise certamente não vale para Fred. O volante liberado para acertar a sua transferência do ucraniano Shakhtar Donetsk para o inglês Manchester United em meio à preparação brasileira para a Copa machucou gravemente o tornozelo direito em uma dividida com Casemiro. Ainda assim, não foi cortado. E deixou de ser uma opção para substituir o companheiro, suspenso, contra a Bélgica. Fernandinho jogou e marcou um gol contra.

“O Fred sofreu uma pancada e não conseguiu ter a sua recuperação total”, limitou-se a dizer Tite, satisfeito também com o futebol apresentado pelo time que, segundo ele, voou na Rússia. “A nossa ideia de futebol ficou clara. Um futebol que sabe marcar, tem contra-ataque e é construído. Mostramos isso. Talvez o Brasil seja a equipe que mais tenha finalizado para o gol e uma das que menos tenha sofrido finalizações dos adversários. E está fora”, lamuriou, antes de embarcar de volta ao País.

 

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.
Desenvolvido por:
Ribero Design
(67) 9979-5354