23 de Junho de 2018 -
 
09/03/2018 - 18h22
GIROTO, JOÃO AMORIM E DEMAIS ACUSADOS SE ENTREGAM NA PF, MULHERES EM REGIME DOMICILIAR
A Justiça Federal chegou a decretar a prisão dos detidos em 2016, mas, por força de liminares, eles foram postos em liberdade
Thiago de Souza
Topmidianews/Agoranews
Giroto chegano na sede da Polícia Federal.

As defesas do empreiteiro João Amorim, Edson Giroto, do engenheiro Flávio Henrique Garcia Schrocchio e de Wilson Roberto Mariano não conseguiram habeas corpus até o momento e os clientes, presos na manhã desta sexta-feira (9), vão passar a noite no Centro de Triagem Anísio Teixeira, no Jardim Noroeste, em Campo Grande.

O advogado Benedicto de Figueiredo, que representa o empreiteiro João Amorim, prometeu retornar a ligação do TopMidiaNews, nesta noite, mas não manteve contato. No entanto, horas mais cedo ele disse que tentaria recorrer da prisão ao Tribunal Regional Federal, o TRF-3 e que medidas cautelares seriam eficazes e não trariam prejuízos à investigação.

O defensor de Giroto e Schrochhio, Valeriano Fontoura, se limitou a dizer que vai estudar a melhor maneira de libertar os clientes.

Além do quarteto, outras quatro pessoas, mulheres, também foram detidas, mas vão ficar em regime domiciliar. São elas: Raquel Giroto, mulher do ex-deputado; Ana Paula, filha do empreiteiro; Elza Cristina Santos, sócia de Amorim. A PF ainda não divulgou o nome da quarta detida.

Lama Asfásltica

O grupo é investigado desde o início da Lama Asfáltica, operação da PF, em 2012, mas que foi deflagrada em julho de 2015. Todos são acusados de integrar organização criminosa que fraudava licitações de obras públicas e por lavagem de dinheiro.

A Justiça Federal chegou a decretar a prisão dos detidos em 2016, mas, por força de liminares, eles foram postos em liberdade. Porém, na terça-feira passada (6), o STF (Supremo Tribunal Federal), derrubou a liminar e determinou a prisão dos implicados.

As defesas de Amorim, Giroto e outros suspeitos negociaram a entrega deles. O empreiteiro, ex-cunhado de Nelsinho Trad (PTB) deixou a mansão dele no Itanhangá Park e se entergou à sede da PF em MS.

Na chegada ao presídio, o ex-deputado federal Edson Giroto agrediu uma jornalista que filmava a entrada dele na superintendência da PF, na Vila Sobrinho. Da mesma forma, Beto Mariano e Schrocchio também foram direto à Polícia Federal.

 

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.
Desenvolvido por:
Ribero Design
(67) 9979-5354