04 de Agosto de 2021 -
 
10/07/2021 - 06h00
Insônia influencia no desempenho cognitivo e aumenta risco de Alzheimer
Neurologista dá dicas para ter um sono de boa qualidade e prevenir a doença
Redação/ Por Michelle Araújo
Agora News

A insônia é o distúrbio do sono mais comum. Atinge entre 30% a 35% da população mundial. É mais comum entre as mulheres, principalmente a partir da puberdade.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 40% das pessoas não dormem como gostariam.

Metade dos idosos relatam ter dificuldade de iniciar o sono e acordam várias vezes à noite, havendo prejuízo no padrão de sono normal. As noites mal dormidas afetam o cérebro provocando cansaço, falta de concentração e diminuem o desempenho cognitivo.

-se que uma das funções do sono é a consolidação da memória e pesquisas apontam que a insônia pode ser um fator de risco para a doença de Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas.

Estudos realizados com pessoas saudáveis ​​mostraram que as que sofrem de insônia apresentam alterações em algumas áreas do cérebro que também são afetadas nos estágios iniciais da doença de Alzheimer.

O sono de má qualidade também colabora para a queda da imunidade do corpo. "A qualidade do sono é essencial, não só para que você consiga ter dias mais bem aproveitados, como também mais saúde", afirma a médica neurologista e professora do curso de Medicina da Uniderp, Aline Braga.

A especialista ressalta que as noites mal dormidas provocam uma série de problemas e mudanças no organismo. "Um sono de baixa qualidade favorece processos inflamatórios no organismo, deixa a pessoa lenta, provoca fraqueza no sistema imunológico, perda de memória de curto prazo, obesidade, envelhecimento precoce, diabetes, ansiedade, hipertensão, falta de apetite, entre outros", cita a especialista.

Para melhorar a qualidade do sono, a médica neurologista sugere a adoção de alguns hábitos simples.

- Crie um ambiente de sono com sem luz;
- Desligue a televisão, celular e computador de 1 a 2 horas antes de se deitar para dormir;
- Não beba ou coma alimentos com cafeína ou guaraná à noite;
- Reduza as atividades com alto nível de estímulos físicos e mentais 1 hora antes de se deitar para dormir;
- Tome um banho quente 1 a 2 horas antes de dormir;
- Faça atividade física;
- Cochilar entre 5 a 30 minutos no começo da tarde pode ajudar na melhora da performance cognitiva no período da tarde.

 

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.