20 de Novembro de 2018 -
 
05/11/2018 - 08h40
IRIA MORRER: Polícia salva jovem do tribunal do crime por rir do 'PCC'
Thatiana Melo e Mariana Rodrigues
Midiamax/Agoranews

Um adolescente de 17 anos foi resgatado de um ‘Tribunal do Crime’ do PCC (Primeiro Comando da Capital) durante a madrugada desta segunda-feira (5), no Jardim Nhanhá, em Campo Grande.

Equipes do 1º Batalhão de Polícia Militar faziam rondas pela região por volta das 3h30 da madrugada quando viram um dos autores, conhecido como ‘Felipinho’, em frente a uma construção abandonada. Ao ver os policiais, Felipinho entrou correndo no local.

A polícia deu ordem para que quem estivesse dentro da casa saísse,  momento em que saíram ‘Felipinho’, um pedreiro chamado Juscelino Pinheiro, de 26 anos, e a vítima, que estava com as mãos amarradas e vários hematomas pelo corpo.

Na casa ao lado, os policiais perceberam que outros autores fugiam pelo telhado, sendo que o morador gritava para que os invasores saíssem de sua casa. Os militares entraram e mais dois homens foram presos: o soldador Renato Augusto, de 32 anos, e o estudante Maikon Henrique, 20 anos.

Eles confessaram que estavam fazendo ‘Tribunal do Crime’ com o garoto, que era da facção rival CV (Comando Vermelho), depois de ele ter debochado de um dos integrantes do PCC, conhecido como ‘Baiano’.

A ordem de execução teria partido de dentro do presídio. A vítima seria torturada na construção e depois seria levada a outro local, onde seria assassinada a facadas e tiros.

Na delegacia, dois dos presos falaram para o delegado Christian Duarte Mollinedo que o assassinato seria porque o garoto seria estuprador, o que foi negado pela vítima.

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.
Desenvolvido por:
Ribero Design
(67) 9979-5354