27 de Janeiro de 2021 -
 
12/01/2021 - 13h30
Mortos em confronto na fronteira podem ter relação com homicídios
Redação
Pontaporanews/Agoranews

Membros de uma suposta organização criminosa mortos em confronto com policiais do Garras (Delegacia Especializada Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestro) e Polícia Civil, poderiam estar envolvidos em dois recentes homicídios que aconteceram no Distrito de Sanga Puitã, em Ponta Porã, e também na Linha Internacional com o Paraguai.

Dos oitos mortos, apenas um foi identificado como sendo Oscar Prieto Davalo, de 23 anos. De acordo com a polícia, o confronto teve início quando a equipe identificou a residência que seria utilizada pelo grupo criminoso, localizada no Bairro Julia Cardinal, próximo a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems). No local, os agentes notaram movimentação dos indivíduos, alguns armados.

Após as investigações, foi constatado que a casa era utilizada como esconderijo para armamento de grosso calibre, inclusive, foram encontrados dois fuzis 762, duas pistolas Glock – 9mm e dois revólveres calibre 38. Informações policiais apontam que ao procederem a entrada tática, as equipes da Polícia Civil foram recebidas a tiros, momento em que iniciou o conflito armado.

Após intensa troca de tiros, seis indivíduos foram feridos. Eles foram socorridos ao Hospital Regional, mas não resistiram. Outros dois homens conseguiram fugir do local, porém, foram mortos em confronto com policiais do DOF (Departamento de Operações de Fronteira).

A perícia técnica foi acionada e o Delegado Alcides Bruno Braun está no local acompanhando os procedimentos. Os corpos foram encaminhados ao IML (Instituto Médico Legal) para a identificação e realização de exame necroscópico.

Mortos eram paraguaios

Os nomes das pessoas que foram mortas em confronto com forças policiais durante um trabalho de investigação na noite de ontem, segunda-feira e na madrugada de hoje.

De acordo o trabalho pericial os mortos são todos paraguaios e foram identificados como: Diego Marcial Moraez González de 28 anos, Oscar Prieto Davalos de 23 anos, Blas Daniel Moraez González de 18 anos, Edison Prieto Davalos de 27 anos, Daniel Irala de Santa Ana, Fredy Portillo de Santa Teresa, Ruben Dário, conhecido como Touro e Alcides Trinidad, o Jonhy de 19 anos.

Ainda segundo a polícia, uma carteira identidade encontrada em nome de Oscar Ruben Dario Del Valle não corresponderia a nenhuma das vítimas. Todos estariam envolvidos em pistolagem e ao crime organizado na fronteira e estavam sendo investigados em alguns crimes ocorridos recentemente nas cidades de Pedro Juan Caballero e Sanja Pytã.

Os corpos foram levados para a Capela Mortuária de Ponta Porã onde foram
identificados.(Foto: Wanderley Além) - FONTE: PONTA PORÃ NEWS

 

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.