27 de Setembro de 2020 -
 
30/08/2020 - 19h50
Por ‘balada irregular’, PM leva 19 pessoas à delegacia durante a madrugada
Por Ricardo Ojeda
Perfilnews/Agoranews
Devido a aglomeração e som alto, vizinhos denunciaram
a festa, em Três Lagoas

Atendendo denúncias de populares na madrugada deste domingo, policiais do 2º BPM de Três Lagoas, em operação preventiva sanitária, juntamente com a Vigilância Sanitária, foram até uma residência localizada à rua João Alves de Freitas, jardim Guaporé.

No local estava ocorrendo uma festa clandestina, desrespeitando as normas preventivas em decorrência da pandemia da Covid-19.

Havia grande número de pessoas, além de menores de idade ingerindo bebida alcoólica, situação que configura crime de corrupção de menores. 
 
Além disso, na residência o som estava extremamente alto. Os policiais e a equipe da Vigilância Sanitária tentaram conversar a fim de encerrar a sequência de infrações, solicitando a presença do responsável da residência.

Porém, o mesmo se recusou atender aos agentes públicos se trancando com alguns participantes da festa no interior da residência. Apesar do adiantado horário da madrugada, ainda havia crianças de colo no local e diante da recusa do dono da residência, os agentes públicos entraram no interior do recinto. 
 
AMIGO DAS AUTORIDADES
 
Após muita insistência, uma pessoa identificada por Edson saiu do imóvel se apresentando como sendo o responsável pela festa. Muito exaltado, ele disse aos policiais que gostaria de saber o motivo das equipes estarem dentro da sua residência, pois não estava fazendo nada de errado. O homem também disse ser "amigo íntimo" de juízes, promotores, delegados e até mesmo do comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar de Três Lagoas.
 
Quando foi tentado explicar o descumprimento da medida preventiva, o responsável pelo imóvel não aceitou as explicações dos agentes sanitários, falando aos policiais que deveriam ir prender verdadeiros vagabundos e traficantes e não um cidadão que estava apenas curtindo a balada. 
 
VOZ DE PRISÃO
 
Os ânimos ficaram mais exaltados quando foi informado ao homem que teria que comparecer até a delegacia de Polícia Civil para ser registrado o boletim de ocorrência. Ele informou aos policiais que não iria porque não era ladrão desobedecendo ordens solicitadas. 
 
Por conta disso, foi dada a voz de prisão pelo comandante da operação. Foi preciso uso de força moderada, já que o homem resistiu à prisão. Ele foi levado algemado à delegacia. 
 
CINQUENTA MIL
 
Durante o deslocamento até a delegacia, o autor informou aos policiais condutores que estava disposto a gastar “cinquenta mil reais” para prejudicar os militares que os prenderam. Ao chegar à sala de elaboração do boletim de ocorrência, o detido passou a apertar as algemas, lesionando seus pulsos e dizendo à equipe que iria se machucar para acusar o grupo.
 
Na delegacia, uma equipe do Conselho Tutelar foi acionada, devido ao envolvimento de menores na ocorrência. Os policiais apreenderam uma caixa de som JBL camuflada, um narguilé de cor preta, globo de luz, uma carteira de bolso com cartões e R$ 140,00 em dinheiro. 

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.