23 de Junho de 2018 -
 
04/03/2018 - 20h06
Em ano de eleição, vereadores de Campo Grande se preparam para disputas em cargos até no Senado
Dos 29 parlamentares, apenas seis disseram que não devem disputar a eleição neste ano
Rodson Willyams
Topmidianews/Agoranews

Os vereadores da Câmara Municipal voltaram do recesso e alguns terão que dividir o tempo entre as atividades parlamentares e campanhas políticas. Dos 29 parlamentares que compõem a Casa de Leis, pelo menos 13 já são pré-candidatos e devem disputar as eleições em 2018. Oito ainda aguardam decisão do partido, seis disseram que não pretendem disputar o pleito e três não responderam.

Senado

O vereador Gilmar da Cruz (PRB) pretende disputar o pleito para o Senado Federal neste ano. "Me coloquei a disposição do meu partido", disse o vereador em conversa com o TopMídiaNews.

Deputado federal

Mirando uma das vaga no Congresso Federal está o vereador Vinicius Siqueira (DEM); o parlamentar já se coloca como pré-candidato a deputado federal. "Vou de Federal", disse o parlamentar que chegou a cogitar disputar a vaga do Senado.

Outro possível nome para o mesmo pleito é o vereador Epaminondas Vicente Silva Neto, o Papy (SD). "Meu deputado estadual é o Herculano [Borges], e o Solidariedade terá um federal, poderá ser eu, ou outro dentro do nosso quadro de filiados. Mas tudo indica que serei eu, mas ainda não está definido", afirma.

O vereador Carlos Augusto, o Carlão (PSB), também disse que pode disputar o pleito de deputado federal. "Estou a disposição do partido. Pode ser que vá também como deputado estadual".

Deputado Estadual

Para a Assembleia Legislativa, Junior Longo (PSDB) deve disputar o pleito. "Sou pré-candidato a deputado estadual. E estamos nos viabilizando".

Apesar da brigas internas dentro do partido, a vereadora Dharleng Campos (PP), mantém a mesma posição e deve disputar as eleições como deputada estadual. "Não podemos negar que dentro do Partido Progressista, o nome da vereadora é bem cotado e um dos mais fortes", disse a assessoria de imprensa da parlamentar.

Cazuza também confirmou o desejo via assessoria de imprensa e mantém a mesma posição em que deve disputar a eleição de olho na Assembleia. Valdir Gomes do mesmo partido, é outro que aparece na disputa. "Mas tudo depende do partido", disse.

Outro parlamentar que deve disputar o pleito em 2018 é o vereador Luiz Carlos Correia de Lima, o Lucas de Lima (SD). "Estou conversando com meu partido, assessores e eleitores. Não sou de fugir das minhas responsabilidades, então meus planos permanecem, acho que posso contribuir muito com meu Estado".

João César Mattogrosso, presidente municipal do PSDB, também não destaca a possibilidade. "Essa é uma decisão que não posso tomar sozinho. Fui candidato de um grupo e amigos e pessoas desgostosas com a política. Conforme vamos mostrando nosso trabalho, alguns amigos começam a se manifestar pelo nosso nome na Assembleia. Mas sendo mais direto, sou presidente do PSDB em Campo Grande, se julgar importante e ver que tem viabilidade a minha candidatura serei sim".

Hederson Fritz (PSD), disse que está a espera de uma decisão do prefeito Marquinhos Trad, líder do partido. "Estou aguardando o prefeito para marcar uma reunião. Tanto Chiquinho quanto eu e outras pessoas, estamos tentando marcar uma agenda com ele, para discutirmos esse assunto".

E continuou. "Acredito que na próxima semana devo ter uma resposta. Mas vou ouvir a opinião do meu segmento, da enfermagem. Se for vontade, posso sair como candidato a deputado estadual".

William Maksoud (PMN) também deve disputar o pleito, porém, a proposta está em construção. "Mas nosso Partido vem forte com bons nomes e muito trabalho". O vereador Loester Nunes, do MDB, também deve disputar o pleito.

Aguardando decisão

Otávio Trad (PSB) disse que pode sair candidato nesta eleição, mas que tudo ainda depende do partido. "Teremos uma reunião decisiva no final de fevereiro. Faremos uma reunião partidária. Se o partido precisar de mim, estarei a disposição".

O líder do prefeito na Câmara Municipal, Chiquinho Telles (PSD), também é outro aguarda o comando do partido. "Sou soldado do partido. Aquilo que o meu líder maior definir, eu farei". Telles havia cogitado ir para ALMS.

Eduardo Romero (Rede) disse que também precisa de uma posição do partido para disputar o pleito. Uma reunião seria realizada em setembro do ano passado, mas a decisão ficou para este ano. "Sigo a mesma linha, nesse semestre se resolve".

Cida Amaral (Pode) também aguarda decisão do partido, caso precise. "Estou a disposição do partido, quero contribuir. Mas estou gostando de ser vereadora", a parlamentar é suplente na Assembleia.

Jeremias Flores (Avante), também deve entrar na disputa. "Temos esta possibilidade, já tem esta conversa no Avante até pelo fato de sermos o único vereador do Partido aqui na Capital", mas não revela qual seria o pleito da disputa.

Wilson Sami (MDB) também disse que depende do 'chefe maior' do partido, do ex-governador André Puccinelli. "Tudo vai depender do MDB. Fui candidato a deputado federal em 2014 a pedido do André Puccinelli. Mas como disse, sou um fiel correligionário. Se me chamarem eu vou".

Odilon de Oliveira (PDT), disse ao Portal que o foco é participar da campanha do pai, o juiz federal Odilon de Oliveira, que deve disputar o Governo do Estado. "Vou participar da coordenação da campanha do meu pai. Só serei candidato a algo, se o partido entender assim. Mas a minha vontade pessoal é garantir a eleição do meu pai ao Governo do Estado".

O presidente da Câmara Municipal, João Rocha (PSDB), disse que deve aguardar até março, para saber se deve ou não disputar a eleição.

"Vamos aguardar um posicionamento do partido, onde vamos indicar candidatos que possuem musculatura política para disputar as eleições. Então, vou aguardar até lá". Rocha havia dito em entrevista anterior que não seria candidato nesta eleição.

Sem possibilidade de candidatura

André Salineiro (PSDB) disse ao TopMídiaNews que mantém a mesma posição e deve permanecer como vereador, em respeito às pessoas que o elegeram.

Ademir Santana (PDT) também disse que não deve disputar o pleito em 2018. A mesma posição de Francisco Gonçalves, o Chico Veterinário (PSB), "não estou conversando com o partido sobre o assunto". Lívio Viana (PSDB), também disse por meio de sua assessoria que não deve disputar a eleição. Ayrton Araújo (PT) deve apoiar o seu candidato Cabo Almi, também do PT. 

A reportagem não conseguiu entrar em contato com os vereadores Roberto Santana, o Betinho (PRB), Wellington de Oliveira e Antonio Cruz, ambos do PSDB.

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.
Desenvolvido por:
Ribero Design
(67) 9979-5354