21 de Maio de 2019 -
 
12/03/2019 - 17h11
Lideranças do PP prometem cobrar ‘posição’ de Bernal para eleições de 2020
Vereadores, deputado e lideranças do partido reclamam que legenda ainda não definiu rumo para eleições de 2020
Daiany Albuquerque e Ludyney Moura
Midiamax/Agoranews
Lideranças do partido se reuniram na Assembleia
Legislativa - (Foto: Ludyney Moura)

Lideranças do PP de Mato Grosso do Sul se reuniram no final da manhã desta terça-feira (12), no gabinete do deputado estadual Evander Vendramini (PP), na Assembleia Legislativa, para discutir a situação da legenda e demonstrar insatisfação com a direção regional do partido, hoje nas mãos do ex-prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal.

Segundo o deputado Evander, há uma ansiedade dos filiados da sigla em relação às eleições de 2020. “Estamos a um ano do fechamento das discussões da próxima eleição e as pessoas não sabem o rumo do partido. Não tem orientação, resumindo, falta comando”.

Izomar Galeano, que já foi presidente do partido em Dourados, afirmou que a cidade está sem diretoria provisória. Não tem comando, está sem presidente. Acompanho situação em outras cidades e há pelo menos oito municípios sem diretoria, todos abandonados”.

Para o deputado, o partido necessita de estar fortalecido para ter condições de disputar as eleições do próximo ano. “Vamos cobrar uma posição do presidente estadual, se não tiver respostas, vamos fazer cobrança na nacional”.

Os parlamentares lamentaram o fato de que nas eleições de 2018, o PP apresentou apenas um nome forte para concorrer ao cargo de deputado federal, que foi justamente o de Alcides Bernal. Segundo o grupo, a executiva nacional tem cobrado dos estados que fortaleça as bases para disputas as eleições locais.

Já o vereador Valdir Gomes se mostrou inconformado com uma situação que teria acontecido em uma reunião onde ele não estaria presidente. Segundo ele, “quem comanda o partido” teria falado mal dele para outros membros da legenda.

“Quem comanda o partido tem que comandar e não falar mal pelas costas. Estou no meu limite, do jeito que está hoje o partido não me representa”, declarou o parlamentar.

Em contraponto, Ulisses Duarte, que chegou a ser candidato a vice-prefeito na chapa de Bernal em sua tentativa de reeleição, em 2016, tentou explicar a postura mais fechada do mandatário estadual também à frente do partido.

“O Bernal enfrentou uma oposição política muito forte e isso fez com que ele se fechasse muito. Por isso alguns companheiros tiveram pouco acesso a administração da diretoria”, atenuou.

O grupo, porém, pretende acionar a diretoria estadual para demonstrar a insatisfação e também, de acordo com o vereador Cazuza, discutir a perspectiva para as eleições de 2020.

A reportagem tentou contato com o ex-prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal, porém, até o fechamento desta matéria ele não havia atendido ou respondido os questionamentos.

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.