21 de Agosto de 2018 -
 
08/08/2018 - 15h00
Réu em ação junto com outro alvo do Gaeco, contador também está preso
A Grãos de Ouro, deflagrada na manhã desta quarta-feira (8), mira os integrantes do esquema de sonegação de impostos
Anahi Zurutuza e Izabela Sanchez
Campograndenews/Agoranews
Jucinez dos Santos Rais, investigado na Operação Grãos
de Ouro, ao chegar em presídio (Foto: Maria Pacheco)

Juscinez dos Santos Reis também foi preso pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) durante a Operação Grãos de Ouro nesta quarta-feira (8). Ele foi levado para o Ptran (Presídio de Trânsito) no início desta tarde.

No local, o Campo Grande News apurou que Juscinez atua como contador de uma das empresas alvo da força-tarefa, mas em rápida busca na internet uma transportadora tem razão social é registrada como o nome do investigado. A Reis Transportes funciona no endereço da pelo preso em processos judiciais como sendo o da casa dele.

Além disso, na Justiça Federal, Juscinez aparece como réu em ação de crime contra a ordem tributária ao lado de Siloé Rodrigues de Oliveira, dono da Forte Corretora de Cereais, também alvo do Gaeco hoje. 

Além de Juscinez e Siloé, mais dois presos na operação chegaram por volta das 13h ao Ptran, uma das unidades do Complexo Penal que recebe presos provisórios.

Todos têm contra si mandados de prisão preventiva – por tempo indeterminado.

No total, 13 pessoas devem ser encaminhadas para presídios de Mato Grosso do Sul, duas delas mulheres. Este é o total de vagas solicitadas pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado), que comanda a operação, à Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário).

A operação - A Grãos de Ouro, deflagrada na manhã desta quarta-feira (8), mira os integrantes do esquema de sonegação de impostos envolvendo a produção, transporte e comércio de grãos, principalmente a soja, em Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul.

Equipes de promotores e policiais militares foram às ruas dos sete Estados para cumprir também 104 de busca e apreensão.

Marcos Antônio Silva de Souza, conhecido como Marcão, de 50 anos, foi alvo de mandado de busca e apreensão na manhã desta quarta-feira (8), mas não teve a prisão preventiva decretada. Ele é servidor da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul.

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.
Desenvolvido por:
Ribero Design
(67) 9979-5354