18 de Novembro de 2018 -
 
11/09/2018 - 14h00
Pedro Chaves declara apoio ao PSDB em evento após PDT de Odilon atender suas exigências e PRB ameaça expulsá-lo
Presidente do PRB, partido do senador, o chamou de covarde, sem ética e individualista
Redaçao
Agoranews/informações Topmidianews
Reinaldo Azambuja, Pedro Chaves e Ana Amélia.

Apóso a coligação do candidato a governador Odilon de oliveira (PDT) ter atendido todas as exigência do senador Pedro Chaves que de última hora resolveu trazer seu partido para apoiá-lo, uma semana depois Pedro Chaves deixou a coligação de Odilon onde o recvebeu de braços abertos e abandonou todos os compromisos feitos. 

A coligação de Odilon abriu mão da vice que já estava certa para o partido Podemos que tinha como candidato, o radialista Antonio Néres de Dourados e acabou cedendo para o PRB  de Pedro Chaves e Wilton Acosta que anunciou o Bispo Marcos Vitor também de Dourados como o vice de Odilon.

Na mesma negociação, Chaves pediu a vaga de senador para a coligação do PDT, pois tinha sido preterido pelo PSDB que não tinha mais espaço na coligação de Reinaldo Azambuja que já tinha Nelsinho Trad e Marcelo Miglioli como os candidatos preferidos da coligação tucana. Pedro Chaves abandonou Odilon menos de dez dias do acordo que teve troca de farpas pela imprensa.

REVOLTA DO PRB 

O senador Pedro Chaves, do PRB, arrumou uma encrenca com o presidente do partido, Wilton Acosta, ao ponto de ser ameaçado de expulsão da sigla.

Motivo: ele desistiu da candidatura à reeleição e firmou aliança com o PSDB, legenda que mantém uma rivalidade direta com o PDT, do candidato ao governo de Mato Grosso do Sul, o juiz federal aposentado Odilon de Oliveira, partido coligado ao PRB.

Por meio do Facebook Acosta manifestou a ira demasiada contra o senador: “irresponsável! Um homem sem princípios, individualista”.

Wilton Acosrta, presidente regional do PRB-MS

O presidente do PRB agiu assim, pelo indicado na rede social, logo depois que o senador compartilhou em sua conta do Facebook a seguinte mensagem: “... participo do encontro estadual do PSDB, que reúne mais de 3 mil educadores de Mato Grosso do Sul. Estamos propostas para a evolução do sistema educacional brasileiro. Participa também a candidata a vice-presidente do Brasil na chapa de Geraldo Alckmin, a senadora Ana Amélia Lemos (PP). Aproveito a oportunidade para declarar meio apoio político à reeleição do governador Reinaldo Azambuja”.

Bastou. Wilton Acosta, além de chamar o senador de irresponsável, seguiu no ataque: “não conseguiu sua candidatura porque é um homem sem ética. É de conhecimento de todos que a nossa aliança original era com o PSDB, e por causa dele, tivemos que nos reposicionar. Mas ele, buscando apenas os seus interesses pessoais, seus negócios, desistiu de sua candidatura. É um covarde!!! Por essa razão, se EXPULSO DO PRB. Não merece a nossa sigla”.

Nota-se que o PRB, conforme Wilton Acosta, já tinha acertado aliança com o governador Reinaldo, contudo, por imposição do senador Pedro Chaves, o partido pulou para o lado do PDT.

Assim que desistiu da reeleição, Pedro Chaves divulgou uma nota demonstrando insatisfação com o PDT, que, segundo ele, havia lhe prometido com o partido ia lançar somente a candidatura dele. No entanto, o partido do juiz aposentado apoiou a candidatura de Beto Figueiró, que é do Podemos, aliado dos pedetistas. No lugar de Chaves, também lançou Gilmar Neri de Souza, do outro coligado, o PRB.

Oficialmente, nem Wilton Acosta nem Chaves manifestaram-se até agora. A vinda da vice de Alckmin e o anúncio do apoio ao senador ocorreram ontem, segunda-feira (10), em Campo Grande.

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.
Desenvolvido por:
Ribero Design
(67) 9979-5354