11 de Abril de 2021 -
 
02/04/2021 - 20h10
Sobrinho executou tio com 16 tiros, aponta perícia da Polícia Civil de Dourados
Picape do suspeito também foi periciada em busca de vestígios de sangue
Por Adriano Fernandes
Campograndenews/Fotos: Adilson Domingos
Caminhonete onde a vítima foi encontrada morta. (Foto: Adilson Domingos)

A perícia da Polícia Civil constatou que Veríssimo Coelho dos Santos, de 61 anos, foi executado com 16 tiros e golpes na cabeça. O sobrinho dele e principal suspeito do crime, Sauro Henrique Teixeira, de 31 anos, está preso desde ontem (1º), mas o motivo do crime ainda é um mistério.

Veríssimo foi encontrado morto dentro de sua caminhonete Silverado, na manhã desta quinta-feira (1º) na Avenida Norte, em Dourados, cidade a 233 quilômetros de Campo Grande.

Capa de sofá usada pelo suspeito para limpar sangue
de veículo. (Foto: Adilson Domingos)

Câmera de um sistema de monitoramento da região revelou que o crime teria ocorrido por volta das 22h do dia 31 de março. Sauro foi encontrado em uma chácara que fica a cerca de 500 metros de onde a caminhonete onde o idoso foi localizado na manhã de ontem.

Ele chegou a ser considerado uma outra vítima do crime, no entanto, informações de testemunhas sobre o seu paradeiro, depois dele ter passado a tarde e noite do dia anterior com o tio na chácara, fizeram dele o principal suspeito do crime.

Veríssimo, inclusive, enviou foto para os familiares e para sua namorada junto do sobrinho, enquanto assava carne e bebia com o rapaz. Levado à delegacia, Sauro negou envolvimento na execução, no entanto, uma toalha de banho e um forro de sofá utilizados para limpar o sangue da vítima no veículo, acabaram comprometendo o sobrinho.

Perito durante levantamentos no carro do
suspeito. (Foto: Adilson Domingos).

A toalha, conforme apurado, pertencia a uma pessoa que trabalha na chácara do suspeito. O funcionário teria deixado a toalha pendurada no varal e só a encontrou novamente ensanguentada na caminhonete onde estava a vítima.

A picape Strada de Sauro foi periciada nesta tarde em busca de vestígios de sangue. O procedimento também deve ser realizado na chácara onde supostamente teria ocorrido o crime. Os peritos devem usar luminol para encontrar vestígios de sangue de sangue.


Recentemente, Sauro comprou uma carreta de Veríssimo. Em depoimento, ele disse ter pago R$ 350 mil no veículo, no entanto, a família da vítima não sabia da transação. O suspeito foi preso preso em flagrante por homicídio qualificado, mas a polícia não descarta a possibilidade de ter ocorrido um latrocínio (roubo seguido de morte).

***Com a colaboração de Adilson Domingos. 

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.