13 de Abril de 2024 -
 
04/03/2024 - 08h40
Mulher morre em tiroteio após atiradores matarem jovem com 17 tiros em Campo Grande
Luana Azevedo não foi atingida por bala perdida; polícia apura autoria e motivação
Por Dayene Paz e Antonio Bispo
Campograndenews/Agoranews
Equipe da Guarda Civil Metropolitana isola o local do
crime para a perícia. (Foto: Direto das Ruas) 

Contrário do que foi apurado preliminarmente pela polícia, Luana Azevedo da Silva, de 39 anos, não foi atingida por bala perdida.

Após analisar a posição do corpo, foi possível constatar que o tiro que matou a mulher foi proposital. Luana Azevedo da Silva, 39 anos e Wanderson Mateus Vieira de Araújo, de 20 anos, foram mortos na noite deste domingo (3), ao lado da praça do Bairro Estrela do Sul, em Campo Grande. 

Inicialmente, a polícia acreditava que apenas Wanderson seria o real alvo dos atiradores. Ele foi abordado por dois homens em duas motocicletas de cor preta, quando estava em um ponto de ônibus na Rua Madame Buterfly. Houve discussão e a vítima tentou correr, mas foi atingida pelos tiros e caiu em uma área de gramado.

Luana Azevedo acabou levando tiro na confusão.

A perícia encontrou 15 perfurações na cabeça e duas no tórax de Wanderson. Ele era conhecido como "Ximba".

A hipótese levantada no local dos fatos era que Luana ouviu os disparos e saiu desesperada a procura do filho, momento em que foi ferida por bala perdida. Contudo, a posição dos dois corpos e o local onde os estojos da bala foram encontrados, segundo a polícia, indicam que os atiradores miraram em direção a Luana.

Agora, a polícia investiga se as execuções têm ligação e a motivação para o crime. 

O crime 

Conforme descrito por populares que acompanharam a dinâmica, dois homens em duas motocicletas de cor preta abordaram Wanderson, que estava em um ponto de ônibus próximo ao local. Houve discussão, a vítima tentou correr, mas foi atingida pelos tiros e terminou caindo no gramado.

Já Luana, que mora em frente da praça, correu após ouvir os disparos e foi vítima de uma bala perdida. Segundo moradores, ela chamava o filho, que estava brincando na via pública.

O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado, mas ambos não resistiram aos ferimentos. Assim como a PM (Polícia Militar), a GCM (Guarda Civil Metropolitana) fez buscas na região, mas os suspeitos não foram localizados. A reportagem apurou que Wanderson tinha passagens por tráfico de drogas e receptação. 

 

publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
© 2013 - AgoraNews.com.br - Todos os Direitos Reservados

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente.